Buscar
  • Marilice Zanato

Como é se olhar com amor?

Atualizado: Abr 14


A experiência é a seguinte: Olhe-se no espelho.


Considere a primeira coisa que você percebeu em si mesmo.


Essa impressão que você teve é boa ou ruim?


Se foi boa, considero que o caminho a percorrer é um pouquinho mais tranquilo.


Se foi ruim, me diga, porque você fez isso?


E de que maneira isso te ajuda ou te coloca em algum lugar de respeito e valor?


Se você olha para si mesmo com os olhos que julga, criticam e deixam para baixo, porque você acha que o mundo poderá fazer algo diferente?


Então, para quem não olhou-se com amor, convido a olhar novamente e observar o que foi criticado apenas com os olhos do amor.


Os olhos do amor, são aqueles olhos que nós muitas vezes oferecemos a nossos amigos ou familiares em situações que eles não estão bem, mas nós encontramos condições para ir lá e fazer um elogio ou falar que tudo vai dar certo.


Olhe-se novamente com os olhos do amor, os olhos do “bem me quero”, os olhos do “vai ficar tudo bem”, os olho do “eu acredito em mim”.


De repente, por alguma razão, não está bom hoje, mas não significa que ficará assim para sempre.


Nestes termos, vou além, e te pergunto, o que você tem feito para que o que te desagrada em si mesmo possa ser mudado ou melhorado?


Compreende onde quero chegar?


Tudo diz respeito a como você escolhe se posicionar em relação a si mesmo, e invariavelmente, isso atingirá esferas maiores, no que diz respeito ao que está ao seu redor no micro e no macro, ou seja, com seus amigos, familiares, relacionamentos afetivos, e assim por diante.


Quando você pega um pouco mais leve com você mesmo, a vida faz o mesmo.


Quando você se olha com os olhos do amor, o que vem de fora, as criticas ou comentários diferentes, de alguma maneira, acabam sendo ouvidos ou considerados de uma perspectiva que fica diferente, menos doido, menos importante, menos…


Então, meu convite hoje, é para que você se considere muito!


Se olhe com amor, com respeito, com carinho!


Que você se cuide, com gentileza, com delicadeza, com doçura.


E assim, um dia de cada vez, até o dia que você perceberá que isso, volta a ser parte da sua essência, da sua natureza, da sua beleza interior.


E tudo fica melhor.


Experimente.



Categorias

Tags

Observação:

Todo o conteúdo deste blog é de minha autoria.

Ele tem o objetivo de informação e reflexão e não substitui o processo psicoterapêutico.
 

Caso queira publicar algum texto do blog, peço por gentileza mencionar a autoria e me encaminhar um link para que eu também possa acompanhar a publicação.

Receba as novidades
do blog! 

Obrigado pelo envio!