Buscar
  • Marilice Zanato

Constelação Familiar – Dar demais pode ser muito ruim

Atualizado: Abr 13


Esses dias estava em um dos meus atendimentos e a questão trazida era a seguinte:


(As informações não são as verdadeiras para preservar a identidade da pessoa)


A cliente possui uma empresa e refere que sempre fez de tudo para todos os funcionários e no final eles sempre saem da empresa processando ela ou com raiva e isso deixa ela muito mal.


A história atual é de que existe uma funcionária na empresa e ela está dando muito trabalho, pois bate de frente com ela e apresenta um comportamento imaturo e agressivo.


Ela me diz a seguinte frase e nesta frase eu fiquei: “Eu faço de tudo para eles e dou até mais do que eles precisam” e agora eles me tratam mal.


E é exatamente por este motivo.


Uma das ordens do amor pressupõe que deve existir equilíbrio no dar e tomar, ou seja, eu dou um pouco e o outro me dá um pouco.


Quando eu dou muito, até mais do que o outro esperava ou tinha sido acordado, eu acabo deixando o outro em dívida e ele tem que fazer muito para pode reestabelecer o equilíbrio e quando ele não pode retribuir ou ele se zanga ou ele vai embora, por exemplo.


No caso, citado acima, exatamente isso acontece, mesmo dando demais para a funcionária, ela não se dá conta que está ultrapassando o limite.


Se elas trabalham juntas, a relação é de funcionário e empregado e o que regula esta relação é CLT e o dinheiro pago por este trabalho.


Quando a gestora faz mais do que o combinado ela gera um desequilíbrio.


A segunda frase reforçou tudo isso: Perguntei porque ela dá mais do que o combinado e ela respondeu: “Ah, coitada, ela tem tão pouco…”


Quem é paciente meu já sabe a teoria que eu tenho sobre ter dó… Toda vez que a gente tem dó de alguém a gente estabelece um olhar acima e pressupõe que estamos melhor do que aquela pessoa e isso nos tira algo e dá a outra pessoa algo também. Isso nos enfraquece diante dela e não o contrário.


Por isso, eu sou contra sentir dó, pois temos de ter respeito pela pessoa e pela situação e compaixão fica mais adequado, pois na compaixão nós podemos fazer algo, na dó a situação fica paralisada e talvez arrogante.


Pois bem…. No caso da cliente acima, não se tratava de uma constelação familiar, mas eu convidei a cliente e tomar de volta o lugar dela de gestora e devolver a colaboradora para o de colaboradora e ponto final.


Se ela tem sentimentos que estão confusos e distorcidos ela deve trabalhar essa questão com ela, em terapia, em constelação ou seja lá o que for.


Mas parar de se colocar acima de qualquer pessoa. Cada um dá o que tem e o que pode e precisamos aceitar e respeitar isso.


O fato dela ter muito, deixa ela mal por contratar uma pessoa para fazer o que ela não gosta, e ela acha que restabelece a ordem quando dá agrados ou coisas além do que foi combinado e isso enfraquece e deixa a relação até mesmo hostil e agressiva.


Por isso, vamos dar o que está combinado… nem mais ou nem menos, apenas o que está combinado.

Categorias

Tags

Observação:

Todo o conteúdo deste blog é de minha autoria.

Ele tem o objetivo de informação e reflexão e não substitui o processo psicoterapêutico.
 

Caso queira publicar algum texto do blog, peço por gentileza mencionar a autoria e me encaminhar um link para que eu também possa acompanhar a publicação.

Receba as novidades
do blog! 

Obrigado pelo envio!