Buscar
  • Marilice Zanato

Constelação Familiar – Dividida entre dois amores

Atualizado: Abr 13


Cliente me procura, pois está passando por um grande conflito afetivo.


Então lhe pergunto o que ela deseja constelar e a resposta é: O amor.


Peço para ela me explicar um pouco melhor do que se trata e mesmo assim continuo sem entender na realidade o que ela desejava, pois quando me traz a palavra amor, ela já estava querendo me dar a solução para o problema dela, algo que é arriscado e um tanto tentador no processo de constelações, pois se eu não ouvir exatamente o que o cliente deseja, eu corro um grande risco de errar.


Peço para cliente me contar um pouco de sua vida e de sua história familiar.


Ela conta ser casada e também ter um relacionamento extra conjugal.


Me conta também um pouco da história de seus pais e também do que sabe sobre seus avós.


Após ouvir a história, me dei por satisfeita, pois já tinha exatamente as informações que eu precisava para colocar a constelação dela.


Depois de ouvir ela, pergunto novamente sobre o que deseja constelar e chegamos a conclusão que era importante olhar para o casamento dela.


Peço para ela escolher bonecos para representar ela, o esposo, o amante. Depois o pai, a mãe e o antigo / atual companheiro da mãe.


Sem perceber ela coloca as duas história (a dela e a da mãe) de maneira exatamente igual, de maneira que o sistema revelava que ela estava repetindo a história de amor da mãe.


A Constelação também mostrou que ela desejava seguir em direção ao pai, mas a mãe não autorizava, desta maneira, ao mesmo tempo que ela queria o pai, não podia acessar o amor dele.


Buscamos restabelecer as ordens na hierarquia de maneira que ela pudesse acessar o pai e a mãe de maneira equilibrada. (Ordem do amor – Hierarquia – Pais primeiro, filhos depois / Pertencimento – Incluir o pai no sistema dela).


Além disso colocamos o marido e buscamos estabelecer o equilíbrio entre o dar e o receber (Ordem do amor – Equilíbrio).


Também fiz um movimento com o amante, de maneira a incluir ele no sistema, pois ele esta representando o amor da mãe que no passado não pôde ser vivido.


Por último, acabei sim incluindo o amor para ver como ela se sentia, e ao mesmo tempo que ela desejava seguir em direção, ela achava estranho amar assim, e eu acabei dizendo que nem sempre tudo é do jeito que a gente deseja e que existem tantas formas de amor, e sim, é possível uma pessoa amar mais de duas pessoas ao mesmo tempo.


A frase final: “Eu aceito o amor tal como ele é”


Encerramos a constelação.

Categorias

Tags

Observação:

Todo o conteúdo deste blog é de minha autoria.

Ele tem o objetivo de informação e reflexão e não substitui o processo psicoterapêutico.
 

Caso queira publicar algum texto do blog, peço por gentileza mencionar a autoria e me encaminhar um link para que eu também possa acompanhar a publicação.

Receba as novidades
do blog! 

Obrigado pelo envio!