Buscar
  • Marilice Zanato

Constelação Familiar – Eu nunca amei alguém na minha vida

Atualizado: Abr 13


Este texto faz parte de uma série de textos que irá explicar um pouco como uma Constelação Familiar Individual é realizada.


Cliente me procura com a seguinte questão: Disse que tem grande facilidade para conquistar e se relacionar afetivamente, porém nunca se apaixonou, ou seja, nunca amou alguém verdadeiramente. O problema a ser constelado seria sua dificuldade em amar.


Peço que ela me conte sua história familiar e também sua história afetiva.


Após compreender melhor o cenário apresentado, informo que iremos experimentar a Constelação.


Peço para ela escolher um boneco para representar ela e um outro boneco para representar o amor.


Ela rapidamente escolhe o boneco que iria representar ela, e na hora de escolher o amor, pensa em pegar um boneco pequeno, que representava um bebê, mas reluta e diz que não quer aquele boneco. Peço para ela pegar o boneco ao qual se sentiu atraída e posicionar na mesa.


Ela coloca eles distantes, cada um em um lado. Ela estava olhando para fora e o boneco do amor olhava para ela. Sente dificuldade para enxergar ele ou querer se aproximar.


Inserimos mais dois bonecos no sistema, que representava o pai e a mãe dela. O pai fica na direção que ela estava olhando e a mãe eu posicionei atrás do pai, mas em uma distancia considerável.


Ela se emociona com as forças apresentadas pelo sistema.


Iniciamos as frases, de maneira que ela pudesse reverenciar o pai (já falecido). Permitindo que ele pudesse seguir o destino dele. Ela se emociona e aceita o proposto.


Ela também reverencia a mãe e aceita o fato da mãe ter vindo antes e ela ter vindo depois, ela é apenas a filha e deve deixar a mãe ser apenas a mãe.


Posiciono ela diante dos pais e peço que ela tome a força de vida que eles oferecem a ela, depois coloco os pais atrás dela e peço para ela seguir o destino dela.


Neste momento, peço para ela escolher um lugar para o amor, e ele se movimenta gentilmente em direção a ela, o que ela aceita e não tenta fugir.


Troco o boneco bebê por um boneco um pouco maior e ela diz que é seguro e confortável.


Digo que o amor cresce na medida que aceitamos e permitimos e que tudo tem um tempo de desenvolvimento e maturação dentro de nós. O amor tomará seu lugar na medida que ela permitir e se amar.


Encerramos a constelação.


Obs 1: Algumas informações desta constelação foram suprimidas.


Obs 2: No dia seguinte, a cliente me informou que acordou com alguns sintomas físicos, que no âmbito metafisico representavam movimento e necessidade de sair da zona de conforto ou orgulho.


Obs 3: Cliente informou dois dias após a constelação ter sonhado e também sentido grande vontade de pedir desculpas a todos os rapazes com quem ela havia se relacionado anteriormente sem envolvimento afetivo.


Obs 4. Lembrando que a Constelação Familiar não tem intenção de curar ou “livrar” ninguém de seus problemas ou questões, ela tem por objetivo trazer a luz ao problema, e permitir que o constelado pense a respeito e tome as decisões que melhor lhe convirem a partir deste processo.

Categorias

Tags

Observação:

Todo o conteúdo deste blog é de minha autoria.

Ele tem o objetivo de informação e reflexão e não substitui o processo psicoterapêutico.
 

Caso queira publicar algum texto do blog, peço por gentileza mencionar a autoria e me encaminhar um link para que eu também possa acompanhar a publicação.

Receba as novidades
do blog! 

Obrigado pelo envio!