Buscar
  • Marilice Zanato

Constelação Familiar – Merecimento / Adoção

Atualizado: Abr 13


Este texto faz parte de uma série de textos que irá explicar um pouco como uma Constelação Familiar Individual é realizada.


Cliente me procura, pois refere sempre sentir que não pode ou merece verdadeiramente as coisas em sua vida, de maneira, que pode até fazer planos e começar as coisas, mas por algum motivo, que desconhece, acaba não levando até o fim, desistindo antes de concluir.


Faço alguns questionamentos sobre sua família e iniciamos a constelação, mais como um processo de experimentação, do que efetivamente como uma constelação em si, pois não tinha muita certeza se havia força para uma constelação.


Peço para o cliente escolher um boneco para representar ele e outro boneco para representar o merecimento.


Eles se posicionam de maneira que o boneco que representa o cliente se coloca acima, quase como uma postura de arrogância e desrespeito.


Pergunto ao cliente como é sua relação com seus pais e ele conta que é filho adotivo e desconhece e não faz questão alguma de saber a história de seus pais, fazendo alguns comentários que desqualificam e desmerecem seus ancestrais.


Neste momento, posiciono os pais diante dele de maneira que ele possa olhar para eles, mas o cliente sem perceber olha para eles de cima para baixo, como uma postura autoritária e nada disponível.


Falo algumas frases, mas o cliente não consegue repetir, tendo apenas a intenção de submeter os pais ao sentimento dele de exclusão e de abandono. Sem perceber, subjugou os pais pelo que eles fizeram, só tendo em seu coração, lugar para os pais que lhe adotaram.


Neste caso, eu não pude seguir adiante com a constelação, pois não há um reconhecimento dos pais biológicos por parte do cliente, o que inviabiliza continuar o processo.


Eu não posso obrigar ou forçar ninguém a fazer algo que não esteja verdadeiramente em seu coração, desta maneira, expliquei para o cliente que a constelação não teria efeitos, uma vez que seria necessário, de alguma maneira, aceitar o que os pais fizeram, sem julgamento, pois está feito.


Obs. Lembrando que a Constelação Familiar não tem intenção de curar ou “livrar” ninguém de seus problemas ou questões, ela tem por objetivo trazer a luz ao problema, e permitir que o constelado pense a respeito e tome as decisões que melhor lhe convirem a partir deste processo.

Categorias

Tags

Observação:

Todo o conteúdo deste blog é de minha autoria.

Ele tem o objetivo de informação e reflexão e não substitui o processo psicoterapêutico.
 

Caso queira publicar algum texto do blog, peço por gentileza mencionar a autoria e me encaminhar um link para que eu também possa acompanhar a publicação.

Receba as novidades
do blog! 

Obrigado pelo envio!