Buscar
  • Marilice Zanato

Constelação Familiar – Ordens do Amor

Atualizado: Abr 14


O Mestre Bert Hellinger, durante sua vida toda, teve oportunidade de trabalhar com grupos e percebeu que existia uma força maior que perpetrava a existência e a condição de permanência dos membros neste grupo.


Ele percebeu que além de um inconsciente individual e de um inconsciente do grupo, ou coletivo, havia algo que dizia respeito ao sistema familiar, ou “inconsciente familiar”, que atua sob cada um dos membros de um sistema familiar.


Estas são as Ordens do Amor:


– Hierarquia:

Sempre devemos respeitar a hierarquia, nossos ancestrais, ou seja, quem nasceu antes tem precedência sobre quem veio depois.


Desta maneira, os filhos devem reverenciar, respeitar, honrar seus pais, e seus bisavós e assim sucessivamente.


Costumo dizer que os filhos podem ter conhecimento sobre tecnologia(por exemplo), e eles até podem ensinar isso para seus pais, como uma forma de expansão desse conhecimento. Mas os pais tem sabedoria, que eu digo ser os “quilômetros de vida rodados” e isso, ninguém pode ensinar.


Os pais viveram antes, experimentaram antes, se conheceram e tiveram uma história antes de nós, e depois nascemos e fomos inseridos nesta família através deles, então devemos a vida a eles, não como obrigação, mas como respeito e amor. Sem eles, não estaríamos aqui.


Então, devemos reverenciar a vida e a história de nossos pais, e não nos cabe qualquer tipo de julgamento, pois eles fizeram os melhor que podiam e sabia, dentro do que eles tinham como possibilidade e conhecimento.


O que eles fizeram ou escolheram não nos diz respeito, devemos apenas respeitá-los, pois eles são os certos para nós.


– Amor


Todas as pessoas que pertencem a uma família. Todo mundo faz parte de um sistema familiar. Todo mundo (no mundo inteiro) tem direito ao amor, independente do que essa pessoa tenha feito como escolhas.


Se houve traição, mentira, ou qualquer outra coisa, que não cabe ser julgado, independente do que houve, qualquer pessoa, tem direito a receber amor de sua família.


Amor é uma ordem que nos é oferecida e oferecemos ao mundo e o movimento desta força engrandece nossa vida e a de todos os que estão ligados a cada um de nós.


Amor é uma condição de existência. É livre, é gratuito e por si só basta.


– Equilíbrio entre dar e receber


Toda relação humana diz respeito a uma troca. Ou seja, eu ofereço e por conta disso recebo algo também.


Seja em uma relação de amizade, uma relação amorosa, uma relação de trabalho. Onde existem pessoas, existe relação e deve haver um equilíbrio nessa troca para que essa relação seja saudável e possa perdurar.


Quando em uma relação uma pessoa só oferece e a outra só toma, começa a haver um desequilibro, e caso isso não seja revisto ou restabelecido, pode haver um momento em que o que recebe fica em dívida de uma maneira que não há mais como retribuir e naturalmente essa relação acaba.


Então, para que uma relação tenha equilíbrio, ambos os parceiros devem oferecer e receber a exata medida, respeitando a dinâmica desta relação, existindo situações que um pode dar mais do que o outro em determinado momento, mas sempre buscando um equilíbrio ou um acordo entre as partes.


Na natureza tudo é equilíbrio, por exemplo, se molhar muito uma planta ela morre, então devemos saber a medida exata e cuidar da maneira que ela precisa e requer atenção. Assim são todas as relações humanas. Oferecer e receber o que é necessário, nem mais e nem menos.


Toda relação para existir tem como condição de existência a troca. Eu ofereço um pouco e tomo o que meu companheiro a me oferecer e vice versa.


Assim há harmonia e troca.


Pertencimento:


Todo mundo veio de algum lugar. Eu vim a este mundo porque em algum momento meus pais escolheram ter um filho e a partir disso uma família nascia. Os meus avós também seguiram esse caminho, meus bisavós e assim por diante.


Eu, pertenço a um sistema familiar e independente do que eu faça, para o bem ou para o mal, eu continuarei pertencendo a esta família. Continuarei sendo responsável pelo sobrenome que eu recebi e querendo ou não, carrego em meu DNA, em meu sangue, toda a ancestralidade dos que vieram antes de mim. E isso é incrível!


Mas em determinadas situações, algumas pessoa cometem erros ou fazem algo que alguns dizem manchar o sobrenome da família. Para as ordens do amor, todos tem direito a pertencer, independente do que tenham feito.


As ordens do amor não julgam, não condenam, não se envergonham ou tentam justificar os fins através de opiniões.


Elas são perfeitas em sua colocação e quando identificadas e em harmonia, trazem benefícios maravilhosos para todos os membros do sistema, ou seja, para todas as pessoas desta família.


Só existe uma condição em que pode haver exclusão de um membro da família, mas esse texto ficaria técnico demais e eu fugiria ao tema. Quando isso acontece em alguma constelação, eu informo os detalhes para a pessoa que está sendo constelada.

Conhecer e praticar as ordens do amor em nosso dia a dia, nos dá uma nova consciência, uma nova responsabilidade e uma leveza.


Claro que precisamos de um tempo e de conhecimento / sabedoria para compreender e expressá-las em nossas vidas, mas posso garantir, que elas nos colocam e nos dão uma nova perspectiva, trazendo novas possibilidades e harmonizando diversos aspectos de nossas vidas.

Categorias

Tags