Buscar
  • Marilice Zanato

Constelação Familiar – Parar de cuidar da vida das pessoas da minha família e finalmente cuidar da m

Atualizado: Abr 13


Este texto faz parte de uma série de textos que irá explicar um pouco como uma Constelação Familiar Individual é realizada.


Cliente me procura, pois diz sentir-se com medo e dificuldade para conseguir se desvincular das responsabilidades que assumiu durante a sua vida toda. Diz que desde muito cedo cuida da mãe e de toda a família e que isso impede de viver a sua própria vida do jeito que sonhou.


Ele me conta que desde muito cedo se recorda de assumir responsabilidades grandes, como cuidar da mãe, das irmãs, e das pessoas da família que passam por dificuldades.


Peço para me contar um pouco sobre sua família, sendo que não conhece quase nada da história da mãe e do pai.


Após ouvir o relato, digo que iremos iniciar a constelação, para avaliar o que ela poderá nos mostrar ou para onde ela nos levará.


Peço para ele escolher um boneco que represente ele, um para representar o medo. Pela escolha dos bonecos já percebo que existe uma distorção na forma dele perceber o mundo e o seu lugar.


Depois peço para ele escolher mais um boneco para representar ele jovem, quando se recorda de ter assumido as responsabilidades, e ele coloca o boneco quase ao lado do boneco que representa o medo, me dizendo que o medo e ele estão olhando para o chão.


Incluo um boneco no lugar que eles olham e ele refere sentir um grande peso e angústia.


Iniciamos os movimentos com os bonecos.


O boneco que ele escolheu para representar ele, na verdade representava a sua mãe. Ele sempre se sentiu muito responsável por ela, de maneira a quase perder sua identidade para cuidar dela.


O boneco que representa o medo, era o seu pai.


O boneco que eu inclui, representava uma exclusão ou um segredo.


Colocamos ordem no sistema, de maneira que nesta família, ele possa ser apenas o filho, e os pais fiquem responsáveis pelo assunto dos adultos e as crianças pelos assuntos das crianças.


Que ele devolvia o segredo para os pais e que ele não faria mais as vezes de ser o guardião do que houve no passado entre os pais e também não irá seguir o destino desse segredo.


Depois, coloco um boneco para representar a vida, e ele diz que não consegue enxergar o boneco da vida.


Então, incluo um boneco que representa ele com a idade atual, que fica diante da criança que ele foi. Neste momento o cliente se emociona. Ele diz que sentia que faltava a criança interior dele…


Depois de integrar as forças, coloquei novamente a vida e ele disse que sentia uma grande vontade de ir em direção a ela, o que ele fez.


Ele agradece aos pais a vida e segue o seu destino, cuidando da vida que lhe foi dada através dos pais.


Encerramos a constelação.


Obs. Lembrando que a Constelação Familiar não tem intenção de curar ou “livrar” ninguém de seus problemas ou questões, ela tem por objetivo trazer a luz ao problema, e permitir que o constelado pense a respeito e tome as decisões que melhor lhe convirem a partir deste processo.

Categorias

Tags

Observação:

Todo o conteúdo deste blog é de minha autoria.

Ele tem o objetivo de informação e reflexão e não substitui o processo psicoterapêutico.
 

Caso queira publicar algum texto do blog, peço por gentileza mencionar a autoria e me encaminhar um link para que eu também possa acompanhar a publicação.

Receba as novidades
do blog! 

Obrigado pelo envio!