Buscar
  • Marilice Zanato

Constelação Familiar – Quero um relacionamento sério com um cara decente

Atualizado: Abr 13


Este texto faz parte de uma série que irá explicar um pouco como uma Constelação Familiar Individual é realizada.


Cliente me procura, pois informa que todos os homens com que se relacionou até o momento ou só querem sexo ou são casados e não estão disponíveis.


Ela me diz que deseja fazer a constelação para entender o que está acontecendo, uma vez que ela estuda e busca entender um pouco mais sobre esse assunto.


Digo para ela que é possível fazer uma constelação familiar para buscar compreender a serviço do que essa situação está se repetindo, porém eu não posso prometer um “rapaz que não traia, seja fiel e perfeito”. Percebo que ela fica decepcionada com a minha fala, porém deixo claro que é possível buscar compreender porque isso está acontecendo na vida dela, mas prometer um relacionamento conto de fadas não.


Ela entende e aceita fazer a constelação.


Dados da constelação:

– Ela me conta sua história familiar e refere que os pais são casados e deste relacionamento existem quatro filhos.

– Recentemente ela ficou sabendo que a mãe tentou abortar ela.

– Informa também que o pai teve um relacionamento amoroso antes da mãe dela e que desta relação existe um irmão mais velho, que a família dela se recusa a aceitar.

– Refere também que durante o relacionamento afetivo de seus pais, parece que o pai traiu a mãe.


Iniciamos a constelação.


Peço para ela escolher um boneco para representar ela, um para representar o pai e um para representar a mãe.


Coloca o pai a esquerda dela, ela no centro e a mãe quase atrás dela. O boneco do pai ela escolhe um grande, para ela um boneco grande e para representar a mãe um boneco pequeno.


Peço para ela incluir um boneco representando o primeiro relacionamento afetivo do pai e ela inclui na mesma posição, um pouco atrás dela.


Iniciamos os movimentos e frases, buscando trazer a cliente para o lugar dela que é apenas de filha.


O sistema revela que por amor, ela acabou se metendo entre os pais para tentar proteger a mãe do comportamento do pai, que fazia a mãe sofrer. Devolvemos a responsabilidade para os pais, sendo que eles são os grandes e o que existe entre eles é responsabilidade única e exclusiva deles.


Eu também troquei o boneco dela e o da mãe. Coloquei um boneco grande para a mãe e um pequeno para ela e a cliente diz que é difícil ser pequena. Mas ela é a filha e esse é o lugar dos filhos: os pais são os grandes e os filhos os pequenos. Ela aceita e diz sentir-se mais leve.


Depois, nos voltamos para a primeira namorada do pai e damos um lugar para ela, uma vez que ela é a primeira e a mãe veio depois.


Coloco os bonequinhos em ordem de maneira que a filha fique no lugar dela, os pais lado a lado, a antiga namorada um pouco atrás do pai, e incluo o irmão mais velho, dando um lugar para ele também.


Depois incluo o relacionamento, para ver como a cliente se sente, e ela aos pouquinhos vai se acostumando com essa força, seguindo em direção a ele.


Encerramos a constelação.


Obs . Lembrando que a Constelação Familiar não tem intenção de curar ou “livrar” ninguém de seus problemas ou questões, ela tem por objetivo trazer a luz ao problema, e permitir que o constelado pense a respeito e tome as decisões que melhor lhe convirem a partir deste processo.

Categorias

Tags

Observação:

Todo o conteúdo deste blog é de minha autoria.

Ele tem o objetivo de informação e reflexão e não substitui o processo psicoterapêutico.
 

Caso queira publicar algum texto do blog, peço por gentileza mencionar a autoria e me encaminhar um link para que eu também possa acompanhar a publicação.

Receba as novidades
do blog! 

Obrigado pelo envio!