Buscar
  • Marilice Zanato

Procurar um psiquiatra para quê?

Atualizado: Abr 14


Corriqueiramente eu ouço as pessoas falando que tem receio de ir ao médico psiquiatra para tomar remédio, pois dizem ter medo de ficarem viciadas na medicação.


Interessante essa discussão, pois ela pode nos levar para várias linhas de reflexão.


E nessa busca, tem gente que vai na farmácia e escolhe um remédio qualquer, sem prescrição médica, ou pede indicação para um conhecido para conseguir uma receita médica e ir por conta resolver a situação.


O nome disso é onipotência, querer ter tudo sob controle.


Achar que pode dar conta da situação sozinho.


Mas, por exemplo:


– Quando meu carro quebra, eu levo ao mecânico.


– Quando o cabelo cresce e precisa de um corte, vou ao cabeleireiro,.


– Quando preciso de dinheiro, vou ao banco.


E por ai vai…


Mas quando tenho um problema, e já estou com ele há tempos, e ele é da esfera das emoções ou sentimentos, simplesmente ignoro. Pois somos educados, desde muito novos, a não dar vazão ou razão para isso.


Tristeza é frescura.


Homem não chora.


Vai passar…


E uma hora não passa.


Eu tenho total e plena consciência e digo recorrentemente, um psicólogo ajuda sim, muito e na grande maioria dos casos.


Mas muitíssimas vezes, o corpo precisa de ajuda. E nesses casos, o remédio é necessário para regular, organizar, restabelecer o que não podemos acessar.


Assim como a insulina para quem tem diabetes, assim como o aerolin para quem tem bronquite, simplesmente o médico sabe o o faz.


E nesses casos, na indicação de um psiquiatra, ele estudou e sabe muito bem o que está fazendo.


As medicações tem prazo para começa e terminar, na grande maioria das vezes. E ele irá acompanhar a evolução do tratamento.


Agora, se você começa e larga no meio do caminho o tratamento, porque já está se sentindo melhor, posso falar com absoluta certeza: neste momento você está entrando em uma grande cilada.


A melhora é temporária e pode ser tida quase que como um milagre.


E na medicina ou psicologia não existem milagres.


Então, assuma a responsabilidade por um tratamento ou acompanhamento especializado.


Permita se admitir que é necessário a ajuda de um especialista.


Deixe a sua onipotência ou insegurança de lado e comece o quanto antes a fazer algo por você.


Ninguém pode fazer isso por você.

Categorias

Tags

Observação:

Todo o conteúdo deste blog é de minha autoria.

Ele tem o objetivo de informação e reflexão e não substitui o processo psicoterapêutico.
 

Caso queira publicar algum texto do blog, peço por gentileza mencionar a autoria e me encaminhar um link para que eu também possa acompanhar a publicação.

Receba as novidades
do blog! 

Obrigado pelo envio!