Buscar
  • Marilice Zanato

Quem disse que você é obrigado?

Atualizado: Abr 14


Já se pegou pensando em não fazer algo, porque você não queria, mas para não desagradar alguém, você foi lá, mesmo sem vontade, contrariado e emburrado e fez… E foi uma chatice?


Claro que existem limites entre o que tem que ser feito e o que você não quer fazer.


Uma coisa é fazer porque você faz parte de um sistema maior, por exemplo, na empresa, você as vezes é obrigado a fazer coisas que não gosta ou não concorda, e aqui não cabe uma discussão do que é certo ou errado, mas diz respeito a continuar fazendo coisas que te desagradam porque você tem que se submeter a esta ordem.


Mas em outros aspectos, existem coisas que você se vê obrigado a fazer e faz porque tem que?


Pois é… Você não se respeitou.


E colocou o outro em primeiro lugar.


As vezes dizer não, é um sinal de respeito e amor próprio.


Quantas vezes podemos nos autorizar a dizer sim para nós e dizer não para os outros?


Somos ensinados desde pequenos a não contrariar os outros, porque eles podem ficar chateados ou ofendidos com a gente.


Mas onde fica a nossa vontade e o nosso direito de dizer não?


E se o outro ficar triste? – Ai já é um problema da pessoa e não seu.


Porque temos que passar grande parte do tempo mediando o que o outro vai sentir se eu me posicionar ou se eu disser não.


Porque o meu referencial de existência tem que dizer respeito a como o outro vai se posicionar ou se sentir ou ficar mal e enquanto isso, eu vou me afastando cada vez mais de mim, pois acabo vivendo em conflito entre o que eu realmente queria e achava que era certo, mas para não ser julgado pelo outro eu acabo me submetendo.


Cuide bem de você e não se sintam mal por se colocar em primeiro lugar!


Não quer fazer, não quer ir, tente compreender porque você não quer, e depois posicione-se e faça o que é melhor para você.

Categorias

Tags

Observação:

Todo o conteúdo deste blog é de minha autoria.

Ele tem o objetivo de informação e reflexão e não substitui o processo psicoterapêutico.
 

Caso queira publicar algum texto do blog, peço por gentileza mencionar a autoria e me encaminhar um link para que eu também possa acompanhar a publicação.

Receba as novidades
do blog! 

Obrigado pelo envio!