Buscar
  • Marilice Zanato

Quero fazer uma constelação familiar, preciso levar minha família?

Atualizado: Abr 13


Quando falamos de constelações familiares, logo pensamos que tudo tem a ver com a nossa família.


Outras vezes pode ficar até um pouco mais complicado: “imagine se eu tenho um problema, que eu não quero contar para ninguém da minha família, mas para resolver eu tenho que levar a minha família toda na constelação”.


Calma, seus problemas acabaram! Rs


Quando fazemos uma constelação familiar, o cliente nos conta o problema ou questão que deseja constelar e com base nisso, fazemos perguntas sobre dados que consideramos importantes para entender o sistema em que este cliente está inserido.


Como a grande parte das perguntas estão diretamente relacionadas as famílias, pode parecer que as constelações só possam acontecer com todos os membros da família, o que não é verdade.


Eu trabalho individualmente com os bonecos no consultório, o que não requer a presença de nenhum familiar, exceto no atendimento a adolescentes, que eu peço a autorização dos responsáveis.


E mesmo se o cliente não conhecer muito bem a história de sua família, não tem problema algum, o importante é apenas que ele tenha clareza que deseja obter uma nova consciência ou entendimento sobre o problema que trouxe para ser constelado.


Outra coisa que é super importante de lembrar: Quando eu escolho ser constelado, eu acabo beneficiando todo o meu sistema familiar, mesmo que de maneira indireta. Se eu me sinto bem depois da constelação, tenha certeza, que todos também poderão se beneficiar destes movimentos e deste novo entendimento.

Categorias

Tags

Observação:

Todo o conteúdo deste blog é de minha autoria.

Ele tem o objetivo de informação e reflexão e não substitui o processo psicoterapêutico.
 

Caso queira publicar algum texto do blog, peço por gentileza mencionar a autoria e me encaminhar um link para que eu também possa acompanhar a publicação.

Receba as novidades
do blog! 

Obrigado pelo envio!