Buscar
  • Marilice Zanato

Um tapinha dói sim

Atualizado: Abr 13


Esses dias eu ouvi uma história, e achei que não poderia deixar passar em branco, pois ela realmente me deixou mexida e achei que era hora de falar sobre isso.


Uma pessoa me conta a história de violência entre ela e o ex namorado. Ele batia nela com certa frequência, mas ela achava melhor não contar para ninguém, pois sentia vergonha ou não sentia-se pronta para falar a respeito.


Eis, que um dia ela resolve procurar um apoio para tentar lidar com aquela situação, e eis a pergunta que ela ouve da outra pessoa: O que você fez para ele te bater?


Oi?


Algum motivo você deu para ele querer te esbofetear…


E neste momento eu fiquei com vergonha, desta pessoa que teve a capacidade de abrir a boca para falar tamanha asneira.


E fica até difícil continuar esse texto, porque existem pessoas que sofrem relações abusivas e por causa de pessoas com opiniões tão horrorosas que elas deixam de pedir ajudar e por motivos destes, muitas sofrem ou perpetuam a história de violência em suas vidas e dentro de suas casas.


Não! Não existe motivo, razão ou desculpa para nenhuma violência qualquer ela que seja.


Não é permitido matar um cachorro porque ele está na porta da sua loja;

Não é permitido bater no seu filho, porque ele fez uma malcriação e você acha que isso vai ajudar na educação dele;

Não é permitido dar um tapa em uma pessoa porque ela te negou um beijo ou algo mais;

Não é permitido matar seu ex parceiro ou o filho dele, porque ele não quer mais ficar com você;

Não é permitido sentir-se no direito de dizer que o outro estava nos motivos dele para espancar uma pessoa por uma crise de ciúmes…


O que está acontecendo com as pessoas, que sentem-se no direito de expor seus sentimentos ou emoções machucando outras pessoas?


Nada disso é certo, não é, nunca foi e nunca será.


Penso que na evolução das espécies, nós desenvolvemos habilidades que nos colocam em um lugar diferente das demais espécies.


Por exemplo: Um cachorro encontrar outro no caminho e arrumar confusão como forma de impor seu território ou autoridade é esperado, mas um humano? – Isso é simplesmente inaceitável.


Como se a capacidade de argumentação e discussão fosse totalmente aniquilada pela instinto que agride e destrói o objeto causador de mal estar ou seja lá o que for.


Você que sofre de violência, procure os órgãos responsáveis ou profissionais de confiança para falar sobre sua questão. Tenho certeza que existe alguém que pode acolher seu sentimento e dor.


Você, que não sabe o que dizer quando alguém te conta uma história triste dessas, fique em silêncio, se não vai dizer algo que possa encorajar ou acolher, fique em silêncio.


Você, profissional que julga uma situação dessas, sinto muito… Mas não há o que dizer neste caso.

Categorias

Tags

Observação:

Todo o conteúdo deste blog é de minha autoria.

Ele tem o objetivo de informação e reflexão e não substitui o processo psicoterapêutico.
 

Caso queira publicar algum texto do blog, peço por gentileza mencionar a autoria e me encaminhar um link para que eu também possa acompanhar a publicação.

Receba as novidades
do blog! 

Obrigado pelo envio!