Buscar
  • Marilice Zanato

Vamos viver o que há para viver… Vamos amar e nos permitir

Atualizado: Abr 13


Como esse tema acaba sendo intrigante e ao mesmo tempo desafiador para as pessoas.


Ao mesmo tempo que a gente quer se relacionar, quer se envolver, quer ter a experiência, tem um outro lado nosso que fica segurando, e falando pra gente que é necessário ter segurança, ter certezas, ter garantias…


E se eu me machucar, como isso vai funcionar?


Parece que a gente sempre quer estar um passo a frente, saber como vai ser, ter garantias, saber se lá no futuro eu vou casar, ter filhos e ser feliz para sempre, como os contos de fadas colocam


A gente hoje está em uma sociedade fast, o que é uma sociedade Fast?


Se eu entro no App, por exemplo Netflix, eu consigo assistir uma série, consigo maratonar uma série em um final de semana, em um dia só, oito capítulos em um final de semana de uma vez só.


Significa que eu começo à assistir mas urgentemente eu tenho a necessidade de saber como essa história vai terminar, como essa história continua, qual vai ser o desfecho, como vai ser, enfim e a gente acaba transferindo isso para os relacionamentos afetivos


Para todas as configurações de outras ordens na nossa vida, a gente quer ter certeza, quer saber como termina e o mais importante: a gente esquece de aproveitar o percurso, a gente esquece de estar presente.


E o que é estar presente? É o pegar na mão, um beijo, um abraço, é a conversar, é perceber o outro tal como ele é e tal como o que ele tem para entregar para você e para este relacionamento, para este momento maravilhoso juntos.


A gente se perde nisso.


Mas eu preciso saber se vai dar certo Mariliceeeeeee!!!!!


Mas já não está dando certo? Mas estar com essa pessoa hoje já não mostra que as coisas estão boas, que esta gostoso, que é super proveitoso


Porque a gente precisa acelerar, porque a gente quer saber como vai ser o último capitulo?


E eu me questiono, a pessoa quer saber se vai acabar e ela vai estar bem ou ela quer manter a história para sempre do jeito que está e isso é impossível.


Todo relacionamento tem variações e tem momentos que ele está alto e momentos que ele está baixo. Tem momentos agitados e momentos de pausa, tem momento de conflito, tem momento que precisamos aparar as arestas.


Mas relacionamento é entrega, relacionamento é troca, relacionamento é percepção, e sinceridade.


Para que um relacionamento possa dar certo precisa haver sinceridade.


Se você está em um relacionamento: fica no presente, olha para o real, para o que realmente está acontecendo ali, se ele ou ela está sendo o parceiro que você está buscando.


Se ele ou ela entregam realmente o que você quer.


Foi dito para uma paciente: “seja a pessoa que você quer ser em um relacionamento e não a pessoa que você supõe que o outro espera de você”.


Entregue o que você quer entregar nessa relação e perceba se o que o outro está te entregando também é o que você quer.


As vezes a gente monta uma cena, o que o outro quer de mim, eu vou ser o que eu acho que o outro quer que eu seja, e monta um teatro e depois se perde e em algum momento você não vai conseguir bancar isso.


Honestidade, sinceridade, mas o mais importante: Esteja no presente!


Sempre no presente!


Tenho como me proteger? É o que eu falo para os meus pacientes: se o relacionamento acabar hoje você vai ficar triste? Se acabar daqui um mês você vai ficar triste? e daqui um ano?


Se a resposta for sim para qualquer uma dessas respostas então vai viver essa história e viver a história do jeito que você mais desejava, do jeito que você mais queria! Vai ser feliz hoje, pois e acabar no futuro, pelo menos você terá a consciência tranquila que fez tudo o que queria e estava ao seu alcance para ser feliz e viver uma grande história de amor.


Se você vai ficar triste porque vai acabar, porque vc tá antecipando esse sofrimento?


Fica no presente, fica na história, fica no gostoso, até a hora que você se cansar, até enjoar, até que outras coisas, possibilidades venham se apesentar dentro da mesma configuração dessas relação.


Essa é uma reflexão bem profunda e espero que possa ajudar um pouco na forma que buscamos nos relacionar e lidar com o amor.


Então vai ser feliz e pára de querer saber o final da história!

Categorias

Tags

Observação:

Todo o conteúdo deste blog é de minha autoria.

Ele tem o objetivo de informação e reflexão e não substitui o processo psicoterapêutico.
 

Caso queira publicar algum texto do blog, peço por gentileza mencionar a autoria e me encaminhar um link para que eu também possa acompanhar a publicação.

Receba as novidades
do blog! 

Obrigado pelo envio!