Buscar
  • Marilice Zanato

Constelação Familiar – Como melhorar minha autoestima

Atualizado: Abr 13


Este texto faz parte de uma série que irá explicar um pouco como uma Constelação Familiar Individual é realizada.


Cliente me procura pois refere dificuldades para lidar e aceitar sua auto estima.


Diz que desde cedo sente-se deslocada e desencaixada da sua família e sempre buscou coisas muito diferentes do que seus pais e familiares consideravam adequado.


Peço para cliente me contar sua história familiar, e ela conta a história de seus pais e também a história de seus avós e bisavós.


Por ser uma história cheia de detalhes e intimidades, manterei em sigilo alguns detalhes.


Depois de ouvir com atenção a história, iniciamos a constelação familiar.


Peço para ela escolher um boneco que represente ela, e ela escolhe um boneco grande e depois peço para escolher um boneco para representar a auto estima, sendo que ela escolhe um boneco pequeno e coloca pouco atrás dela. Ambos olham para a mesma direção, então escolhemos um novo boneco para colocar na direção em que ambos estão olhando.


Ao perceber do que se tratava, pedi para ela incluir um boneco que representasse sua irmã mais velha, um boneco para representar a irmã mais nova e um boneco para representar o irmão que não nasceu.


A Constelação fica assim: Boneco dela grande e o pequeno da auto estima olhando para o outro boneco. Neste momento, a constelação demonstra que o boneco grande ao lado da auto estima na verdade é o pai dela. O boneco pequeno representa ela e o boneco que eles olham adiante é a mãe dela. A inclusão das irmãs fica da seguinte maneira: irmã fica entre os pais, e a irmã mais nova um pouco mais ao lado da minha cliente, junto do boneco que representa o bebê que não nasceu.


Cliente me diz que com todas as inclusões ela se sente deslocada. E parece que a boneca dela passa a olhar para atrás do boneco que representa a mãe dela. Incluo uma boneca e ela diz sentir raiva, decepção e mágoa. Neste momento, pergunto a história da avó materna e ela conta com tristeza, informando que a mãe foi abandonada por ela, sendo que a mãe dela teve de assumir todas as responsabilidades da casa, ainda criança, quando a mãe partiu.


Iniciamos as frases, para colocar ordem no sistema de devolver a cada um dos membros o seu devido lugar, porém sinto a necessidade de incluir os antepassados femininos por parte de mãe. Coloco mais quatro bonecas para representar sete gerações das mulheres da família por parte de mãe. O sistema mostra que houve muito sofrimento e lutas e que todas essas mulheres foram fortes, mas pagaram um preço por isso. A cliente reverencia uma por uma e inclui todas elas em seu coração.


Durante os movimentos, ela percebe que a mãe implora para que ela não deixe ela sozinha, demonstrando que a mãe havia colocado as filhas no lugar da mãe dela. Fazemos o movimento restabelecendo a ordem de hierarquia, mesmo parecendo que a mãe não aceita completamente este movimento, porém a cliente sente alívio e digo que agora é responsabilidade da mãe dela lidar com as questões dela e o que houve entre a mãe dela e a avó materna é responsabilidade delas. A minha cliente cabe apenas ser a filha do meio.


Depois inclui o pai ao lado da mãe, e a cliente diz que a mãe se sente mais forte. Depois voltamos para a irmã mais velha e devolvemos a ela o lugar de irmã mais velha e não mãe da cliente. Neste momento, cliente sente-se mais leve.


Depois de mais alguns movimentos, coloco todos os membros da família dela no lugar: pai, mãe, irmã mais velha, filho que não nasceu, minha cliente e irmã mais nova. Neste instante a cliente diz que agora ela está no lugar dela.


Deixo claro que ela não era a filha número dois e sim a filha número três e ela sente paz.


Por fim, incluo um boneco para representar a auto estima, porém pelo tamanho ela fica desconfortável, então troco por um boneco menor e com as frases, ela percebe que com o tempo ela poderá se aproximar e apropriar da auto estima conforme ela quiser. Ela fica confortável e se sente atraída pelo novo bonequinho.


Encerramos a constelação.


Obs. Lembrando que a Constelação Familiar não tem intenção de curar ou “livrar” ninguém de seus problemas ou questões, ela tem por objetivo trazer a luz ao problema, e permitir que o constelado pense a respeito e tome as decisões que melhor lhe convirem a partir deste processo.

Categorias

Tags

Observação:

Todo o conteúdo deste blog é de minha autoria.

Ele tem o objetivo de informação e reflexão e não substitui o processo psicoterapêutico.
 

Caso queira publicar algum texto do blog, peço por gentileza mencionar a autoria e me encaminhar um link para que eu também possa acompanhar a publicação.

Receba as novidades
do blog! 

Obrigado pelo envio!