Buscar
  • Marilice Zanato

Amor e controle

Atualizado: Abr 14

Algumas pessoas encontram dificuldade para esclarecer suas preferências em relação a uma opção de relacionamento afetivo.


Esse texto não irá tratar das opções relacionadas a gênero e muito menos de opção sexual, pois aqui não cabe esse tipo de discussão.


Estou me referindo às possibilidades de viver um relacionamento afetivo em que ocorra troca recíproca, afeto sincero e respeito acima de tudo.


Muitas pessoas consideram que devem aceitar qualquer relacionamento afetivo, pois não se consideram dignas ou merecedoras de viver uma história de amor verdadeira, em que ela seja respeitada, valorizada e querida verdadeiramente por seu parceiro.


Muitas se sujeitam a viver sob o domínio do ser amado, que pode impor todo o tipo de limites e pasmem: muitas pessoas consideram isso como prova sincera de amor.


“Meu namorado é super ciumento e não gosta que eu saia com minhas amigas para ir ao bar”


“Minha namorada fica no meu pé vinte e quatro horas por dia”


“Ele me mandou tirar aquela saia, pois namorada dele não anda com roupa curta”


Até aquela famosa frase “Tira o batom vermelho”


E algumas pessoas se contentam com isso considerando que isso faz parte de um relacionamento em que a outra pessoa está preocupada com o seu bem estar e só quer o seu bem.


Mas de que bem estamos realmente falando?


O conceito correto de relacionamento é quando duas pessoas resolvem se relacionar pois tem interesses, objetivos ou sonhos em comum. E quando isso não é o mote da relação, espera-se que o afeto / amor / carinho / respeito seja a liga que mantenha esse casal junto e caminhando na mesma direção em relação a vida.


Quando consideramos que a prova de amor ou de afeto da outra pessoa é o controle ou ciúme que ela tem por nós, alguma coisa está verdadeiramente errada neste relacionamento.


Estar junto envolve cumplicidade; querer estar bem e respeitar a pessoa pelo que ela é, pelos gostos e desejos, e lembrando que nos interessamos pela pessoa lá atrás pelo que ela era.


Por que ao ficamos juntos nos damos o direito de controlar e a pessoa amada se submete a isso?


Então pense a respeito, se para manter-se em um relacionamento afetivo é necessário que exista algum tipo de controle, analise se você está com essa pessoa por amor, carinho, afeto ou simplesmente pela intenção de ter ela ou controlá-la?


E você que se permite se controlada… talvez esteja na hora de repensar suas escolhas também…

Categorias

Tags

Observação:

Todo o conteúdo deste blog é de minha autoria.

Ele tem o objetivo de informação e reflexão e não substitui o processo psicoterapêutico.
 

Caso queira publicar algum texto do blog, peço por gentileza mencionar a autoria e me encaminhar um link para que eu também possa acompanhar a publicação.

Receba as novidades
do blog! 

Obrigado pelo envio!