Buscar
  • Marilice Zanato

Colocar os filhos em primeiro lugar


Outro dia eu estava conversando com uma pessoa que eu conheço há mais de vinte anos e ela comentou comigo algumas questões particulares e em um dado momento da conversa falou: Agora eu vou cuidar de mim, quer dizer, primeiro da minha filha, ela vem em primeiro lugar.


Nem precisa dizer que o meu radar de consteladora entrou em ação e foi mais forte do que eu…


Eu juro que tentei me controlar e fingir que não tinha ouvido essa parte da conversa, não por ela, mas por mim rs


Mas acabei falando para ela: Primeiro você.


Me pareceu que ela não gostou muito e eu complementei: Se ela vier em primeiro lugar, pode ser que ela se sinta na obrigação de cuidar de você e dos seus problemas, pois ela pode entender que você não dá conta, por isso ela tem que fazer por você.


Muitos pais acabam falando isso para os filhos e isso pode dar em filhos folgados que não fazem nada, pois acham que os pais tem obrigação de tudo ou filhos que acabam entendendo que eles que tem que fazer pelos pais, pois podem entender que os pais são os pequenos e eles são os grandes e tem a obrigação de cuidar dos pais.


Já ouviu essa frase?


“Em caso de despressurização da cabine, máscaras de oxigênio cairão automaticamente. Puxe uma das máscaras, coloque-a sobre o nariz e a boca ajustando o elástico em volta da cabeça e respire normalmente, depois auxilie a criança ao seu lado”


Primeiro os grandes e depois os pequenos.


Se eu estou bem, cuido de mim e das minhas coisas, então meu filho pode ser apenas o que lhe cabe, no caso filho e criança, se ele for pequeno. (Na verdade os filhos sempre são pequenos).


Desta maneira, não podemos mais colocar os filhos em primeiro lugar.


Se eu cuido de mim o destino do meu filho fica mais leve, se eu me coloco no meu lugar, ele pode ocupar o lugar dele e tomar a vida que ele ganhou através dos pais e seguir adiante.


Assim fica mais leve e equilibrado. Concorda?

Categorias

Tags

Observação:

Todo o conteúdo deste blog é de minha autoria.

Ele tem o objetivo de informação e reflexão e não substitui o processo psicoterapêutico.
 

Caso queira publicar algum texto do blog, peço por gentileza mencionar a autoria e me encaminhar um link para que eu também possa acompanhar a publicação.

Receba as novidades
do blog! 

Obrigado pelo envio!