Buscar
  • Marilice Zanato

Como mudar sua vida com palavras

Atualizado: Abr 14


Existem coisas que acontecem na nossa vida e não entendemos o motivo aparente delas.


Estamos lá, nos esforçando, dando o nosso melhor, fazendo o que sabemos fazer, mas simplesmente parece que nada acontece.


Outro dia, estava conversando com uma pessoa sobre isso, e não era a primeira vez que ela dizia que a vida dela simplesmente parecia estar indo pelo ralo: Dificuldades por todos os lados.


E ela não entendia, pois se considera uma pessoa boa, mas simplesmente, tornou-se impossível entender o motivo de tudo aquilo.


Me recordei, que em algum momento do meu passado, eu fiz um curso voltado para Programação Neurolinguística, e algo me fez pensar que talvez a questão dela pudesse estar ali.


Das palavras utilizadas, diversas foram: “Dificuldade”; “A vida é uma batalha”; “Tudo vem sofrido”; “Tem que ter esforço”; “Preciso brigar para conseguir” e assim por diante…


Pensei no padrão que estava estabelecido ai…


Não sou expert em PNL, mas conforme me recordo, as palavras tem uma força ou uma intenção e o nosso cérebro faz uma leitura disso e nos oferecerá oportunidades que estejam alinhadas ao que acreditamos ou pensamos.


Se eu acho que a vida é uma batalha diária, de alguma maneira, ele irá fazer este leitura e as situações ocorrerão desta maneira, com dificuldade, ou trazendo certo sofrimento.


Você já percebeu que quando acontece uma determinada situação em sua vida, e você do nada resolve não se preocupar mais com ela, parece que magicamente ela se resolve ou fica mais fácil de ser vivida?


Não se trata de mágica, trata-se apenas da forma como você resolve escolher para que aquele determinado evento lhe afete.


Quando damos um passo para trás, ou nos colocamos fora da situação, conseguimos perceber com mais facilidade, e consequentemente menor carga afetiva / emocional e a partir disso, conseguimos tomar decisões mais assertivas ou adequadas.


Desta maneira, o que quero dizer, é que, ao substituirmos palavras pesadas ou negativas, por palavras mais doces ou positivas, de alguma maneira, podemos dar uma nova interpretação para o nosso cérebro e consequentemente para o nosso coração.


Um novo cenário para que possamos fazer nossas experiências com as nossas próprias vidas.


Tente perceber, se sem querer, você não está fazendo isso consigo mesmo.

É sem querer mesmo…


E gradativamente vá treinamento seu repertório com palavras positivas.


Não estou querendo criar “Pollyanas”, apenas quero mostrar que o pensamento traz novas possibilidades e consequentemente novas atitudes poderão nos levar para outros lugares, melhores e mais suaves em nossas vidas e afazeres.


O que custa tentar?


Ao invés de perguntar, o que você tem a perder, pergunto: “O que você tem a ganhar?”


Categorias

Tags

Observação:

Todo o conteúdo deste blog é de minha autoria.

Ele tem o objetivo de informação e reflexão e não substitui o processo psicoterapêutico.
 

Caso queira publicar algum texto do blog, peço por gentileza mencionar a autoria e me encaminhar um link para que eu também possa acompanhar a publicação.

Receba as novidades
do blog! 

Obrigado pelo envio!