Buscar
  • Marilice Zanato

Depressão não é frescura ou coisa de gente desocupada

Atualizado: Abr 13


Esses dias estava conversando com uma pessoa e confesso que fiquei bem preocupada.


Não é história de nenhum paciente e sim de uma pessoa que conheci na semana passada.


Trata-se da história de uma adolescente que anda triste, sem vontade de fazer nada, só fica no quarto e as vezes se machuca.


O pai disse que é frescura e que ela não tem motivo nenhum para isso e que deve ser falta do que fazer.


O que me preocupa é que a menina está demonstrando não estar bem e inclusive está fazendo mal para sí mesma, e muito possivelmente é uma tentativa de amenizar a dor que está sentindo dentro dela mesma.


Mas para o pai não é nada. É frescura, porque ela não tem motivo algum para sentir isso.


Mas a depressão quando chega, ela não escolhe quem tem o não motivos.


Ela não escolhe quem faz mais ou menos coisas, ela não escolhe nada. Ela simplesmente chega e quando você se dá conta, ela já está lá sentada na sala e fazendo companhia.


Inclusive, você sabia que existem milhares de pessoas que tem depressão e você nem imagina? – Simplesmente porque elas levam a vida normalmente para que ninguém saiba o que elas estão sentindo, até porque “pode ser frescura, né?”


Ela começa a não querer sair mais;

Só pensa em dormir e não tem força ou disposição para fazer nada;

Pode ficar sem vontade de se cuidar;

Pode perder a vontade de comer;

Acaba se isolando do mundo e vivendo uma rotina de trabalho para casa e vice versa;

Não quer mais ver os amigos;

Tudo fica sem graça ou sem cor.


Mas até ai, as pessoas acham que é porque a vida está corrida e sem tempo…

Mas não… simplesmente essa pessoa se afastou até ficar sem ser notável para a sociedade.


Até a família não consegue perceber e neste caso, a coisa fica complicada.


Por isso, se você tem um amigo que faz tempo que você não vê ou fala, pense se não é o caso de saber como ele está.


Pode ser que exista alguém bem ao seu lado precisando de ajuda, precisando de uma palavra, de um colo… De um “estou aqui para o que você precisar”.


Mas por favor: Jamais fale que é frescura.


A dor pode estar comendo essa pessoa por dentro e a última coisa que ela precisa é de alguém falando bobagem para ela.


Se não tem algo produtivo para falar…


Já sabe, né?


Se você precisa conversar, procure um psicólogo… Ele sabe bem o que fazer.

Categorias

Tags

Observação:

Todo o conteúdo deste blog é de minha autoria.

Ele tem o objetivo de informação e reflexão e não substitui o processo psicoterapêutico.
 

Caso queira publicar algum texto do blog, peço por gentileza mencionar a autoria e me encaminhar um link para que eu também possa acompanhar a publicação.

Receba as novidades
do blog! 

Obrigado pelo envio!